Líder no uso de drones agrícolas, São Paulo quer criar regras para os equipamentos

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo vai propor ações para o desenvolvimento de um ambiente regulatório e de negócios para o uso de drones para pulverização de lavouras. Em reunião realizada na semana passada com a liderança do secretário de Agricultura e Abastecimento, Gustavo Junqueira, foram acertados os detalhes para a criação de um grupo técnico para estudar e elaborar as diretrizes para as futuras ações.

Desde 2019, drones já são utilizados no Cinturão Verde de São Paulo para pulverização de agentes biológicos no cultivo de hortaliças, sendo o líder no país na utilização da tecnologia também em outras culturas como cana-de -açúcar e citros.

Além do secretário de Agricultura, participaram da reunião Júlio Schidara, presidente da Associação das Indústrias Aeroespaciais do Brasil (AIAB); Nei Brasil, coordenador do Comitê de Aviação da AIAB e CEO da VOA; Pedro Estevão, presidente da Câmara Setorial de Máquinas e Implementos Agrícolas da Associação Brasileira da Indústria de Maquinas e Equipamentos (ABIMAQ); Felipe Gonçalves, da ABIMAQ; Armando César Sugawara, da ANDAV e Roberto Araújo, diretor de Boas Práticas da Croplife Brasil.

Para Junqueira, é importante criar regras que não sejam restritivas, e disse que a Secretaria pode encabeçar essa discussão em âmbito estadual.

“O uso de drones para pulverização já é bastante comum em alguns países da Ásia, pioneira nessa tecnologia. No Brasil, a prática ainda é recente, mas vem ganhando espaço. No entanto, são poucos os países do mundo que possuem normativos específicos para pulverização com drones. Colocarmos esse assunto em pauta mostra o pioneirismo de São Paulo para o aperfeiçoamento e utilização da tecnologia, buscando sempre eficiência e segurança de todos”, afirma o secretário.

Durante o encontro, realizado de forma virtual, Nei Brasil apresentou as principais características dos drones usados em lavouras, como esse mercado tem crescido no mundo e a necessidade de ser estabelecido um ambiente de negócios que não iniba a inovação do setor no Estado de São Paulo.

“Já não é uma expectativa, o uso do drone na agricultura é uma realidade. O Estado de São Paulo é o líder tanto em desenvolvimento tecnológico, quanto na utilização dos drones de pulverização nas lavouras, passando a marca de 1 milhão de hectares sendo tratados anualmente”, explicou Nei Brasil.

 

Fonte: canal rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *