Empresário conversa com Honda e diz que japonês está feliz em jogar como volante no Botafogo: ‘Ele não tem vaidade’

Desde a chegada de Honda ao Botafogo, o torcedor alvinegro imaginou que o japonês iria atuar como cérebro da equipe, distribuindo as jogadas para os atacantes, como um verdadeiro camisa 10. No entanto, o técnico Paulo Autuori parece ver outra função para o craque no esquema tático.

No clássico contra o Fluminense, pela semifinal da Taça Rio, Honda jogou como volante, sendo responsável por dar qualidade à saída de bola do Botafogo. Segundo o empresário Marcos Leite, quem intermediou a contratação do jogador no início do ano, o craque está “supercontente” atuando mais recuado.

Falei com ele logo após o jogo contra o Fluminense e dei os parabéns para ele pela partida que ele fez. Foi uma excelente partida. Se eu não me engano, de 60 passes ele errou um. Ele jogando como volante, o Botafogo ganha muito na saída de bola com o Caio Alexandre ali (…) Na hora que eles se entrosarem, vai ficar bom. E conversando com o Honda, eu perguntei para ele se ele gostou de jogar na posição, se ele estava bem, e ele disse que estava supercontente. Ele gosta de jogar naquela posição. Ele não tem vaidade, não é um cara que precisa jogar como atacante ou fazer o gol para aparecer. Ele vai ajudar a equipe. Ele está contente. Com certeza o Paulo conversou com ele – contou o agente em entrevista ao Canal Fabiano Bandeira.

Honda tem atuação de destaque contra o Fluminense

No Clássico Vovô, última partida do Botafogo antes do início do Campeonato BrasileiroHonda recebeu 6.5, uma das melhores notas do Botafogo nas atuações do FogãoNET. A assertividade nos passes e a criação de uma jogada que terminou com uma finalização da trave para Bruno Nazário foi destacada na avaliação da redação.

Fonte: FogãoNet

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *