Bolsonaro diz que obrigatoriedade de vacina não é “uma questão de Justiça”

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta 2ª feira (26.out.2020) que a decisão sobre a obrigatoriedade de vacina contra a covid-19 não deve ser judicializada.

“Eu entendo que isso não é uma questão de Justiça. Não pode 1 juiz decidir se você vai ou não tomar a vacina. Isso não existe. Nós queremos é buscar a solução para o caso”, afirmou Bolsonaro a apoiadores na porta do Palácio da Alvorada.

A declaração ocorre dias após o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Luiz Fux, dizer que prevê a judicialização dos critérios a serem adotados para a vacinação contra a covid-19.

Para Fux, a Corte Suprema será chamada a decidir sobre temas como liberdade individual e requisitos para a imunização.

“Podem escrever: haverá uma judicialização, que eu acho que é necessária, que é essa questão da vacinação. Não só a liberdade individual, como também os pré-requisitos para se adotar uma vacina”, disse o ministro.

Nesta 2ª feira (26.out), Bolsonaro ainda comentou a divulgação de resultados preliminares dos testes da vacina da AstraZeneca, desenvolvida em parceria com a Universidade de Oxford, que mostram que o imunizante produz resposta imunológica robusta em idosos.

“Um jornal lá de fora publicou uma notícia bastante promissora para a vacina de Oxford. Várias empresas e universidades estão buscando vacina contra a covid. O que a gente tem que fazer aqui é não correr, não atropelar, não comprar dessa ou daquela sem nenhuma comprovada. A gente aguarda, logicamente, para poder melhor falar desse assunto, a publicação disso na revista científica”, afirmou.

Mesmo que tenha valorizado os supostos avanços nos testes da vacina de Oxford, ele questionou os apoiadores se “não é mais fácil e até mais barato investir na cura do que na vacina”.

“Pelo que tudo indica, todo mundo que tratou precocemente com uma destas 3 alternativas aí [hidroxicloroquina, ivermectina e o vermífugo Anitta] foi curado”, disse.

Fonte: poder360

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *