Só Quem é resiste

Proseando hoje em Grolli e Prosa apresentarmos uma importante participação na Bienal da UNE deste ano 2021, nesta edição tivemos o orgulho de ter três representantes do nosso estado Mato Grosso do Sul apresentando um trabalho autoral de graffiti ao vivo e rap em um clipe inédito os mesmos representavam também a Associação Nação Hip Hop Brasil MS.
Clipe: SÓ QUEM É RESISTE
Marilena Grolli a grafiteira há 26 anos, atualmente é presidente da nação Hip Hop Brasil MS, Patrona da cadeira número 10 da Academia Feminina de Letras e Artes de MS, Gestora de Artes do Núcleo de Artes Visuais da Fundação de Cultura de Mato Grosso do sul e especialista em artes visuais pela UFMS. Participou de Festivais nacionais e internacionais de Graffiti, além de várias ações sociais em comunidades periféricas.
Diogo Espírito Santo o Rapper Amém é ativista, incentivador do movimento Hip Hop e vice-presidente da Nação hip Hop Brasil MS, além de ser um dos pioneiros da Cultura Hip Hop no Noroeste do Rio Grande do Sul, começou a desenvolver suas primeiras rimas no final dos anos 90. Rapper Amém atua na cena do movimento a mais de 8 anos
Bruno.L é Artista, Mc, Produtor pela Função Rec. Faz parte do coletivo 2º Ofício, no qual desde 2013 vem lançando músicas desde boombap a trap, quanto também lançando outros artistas da cidade através de seu trabalho com beats, gravações, e edições de vídeo clipes. Tem parceria forte com diversos artistas da cena local assim promovendo o Hip-Hop do MS.
Sobre a Bienal
A Bienal da UNE é um festival de cultura, arte, ciência e tecnologia que mapeia, conecta e apresenta o que de mais interessante tem sido produzido dentro e fora das universidades brasileiras há mais de 20 anos. É considerado o maior festival estudantil da América Latina, reunindo cerca de 15 mil estudantes a cada dois anos. Em 2021 a Bienal foi realizada majoritariamente on-line, ou seja, foi apresentada de forma virtual por causa da covid 19 com data no dia 18 de maio via Live no YouTube e teve a União Brasileira de Estudantes Secundaristas e Associação Nacional de Pós Graduandos também como realizadores do evento.
Sempre celebrando a cultura popular brasileira, nesta 12ª edição trouxe o tema “Brasil, um povo que resiste” e homenageou os cem anos da Semana de Arte Moderna e a cantora Elza Soares. Um chamado a desenhar coletivamente um Brasil antropofágico e possível, ancestral e moderno, um país pintado de ‘nós’: a juventude. E um convite a festejar a nossa brasilidade, o “Brasil que deu certo”, espelho de vitórias, diversidade e representatividade.
Link vídeo da Bienal
https://youtu.be/BltNTTe-kmo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *