Senadora Soraya Thronicke participa de reunião sobre a Nova Ferroeste

Em parceria com a Prefeitura de Dourados, a parlamentar busca incluir a cidade no traçado da ferrovia

Em busca de mais desenvolvimento para a região de Dourados, a senadora Soraya Thronicke (PSL-MS) participou, nesta quinta-feira (24), de reunião na Secretaria Especial do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), do Ministério da Economia, para tratar sobre a inclusão do município na Nova Ferroeste – o Corredor Oeste de Exportação. A ferrovia terá um impacto muito positivo para o setor produtivo do centro-sul do país, levando investimentos e desenvolvimento para toda a região. Também participaram da reunião o prefeito de Dourados, Alan Guedes, o secretário de Obras da cidade, Luís Casarin, e as vereadoras Daniela Hall e Liandra Brambilla.

De acordo com a secretária Especial do PPI, Martha Seillier, o projeto está em fase de elaboração dos estudos de viabilidade técnica, econômica, ambiental e jurídica. Apenas após a fase de licitação é que serão definidas quais cidades irão receber um terminal da ferrovia, pois a empresa concessionária será responsável pela escolha desses pontos.

Para a senadora Soraya Thronicke, a inclusão de Dourados no trecho é de extrema importância. “Dourados é a segunda maior cidade do Mato Grosso do Sul, e tem uma enorme capacidade de produção, além de conseguir atender toda a demanda de serviços que serão gerados com a instalação da ferrovia na região. Por ser uma cidade polo, Dourados já conta com estrutura para viabilizar essa demanda”, defendeu. A parlamentar ainda se colocou à disposição da Secretaria Especial do PPI para colaborar com propostas legislativas que acelerem o processo de desenvolvimento da malha ferroviária brasileira.

Com a Nova Ferroeste, a malha ferroviária do Mato Grosso do Sul será ligada ao estado do Paraná, dando origem a um dos mais importantes corredores de exportação do país, com 1.285 km de extensão. A estimativa de investimentos é de R$ 25 bilhões. Quando concluído, será o segundo maior corredor de exportação de grãos e contêineres refrigerados do Brasil. Estudos de demanda indicam ainda que cerca de 26 milhões de toneladas de produtos devem circular no trecho por ano. Considerando o tráfego interno, a Nova Ferroeste deve alcançar 38 milhões de toneladas a cada ano.

Assessoria de Imprensa Senadora Soraya Thronicke

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *