Queimadas: Corumbá “Grita por SOCORRO”

As queimadas em Corumbá, município na fronteira entre Mato Grosso do Sul e Bolívia, já destruíram mais de 34 mil hectares do Pantanal – o equivalente a mais de 34 mil campos de futebol – apenas nos últimos sete dias. A estimativa é do Corpo de Bombeiros, que atua no combate as chamas na região, e já precisa selecionar onde a situação é mais grave para agir.

Em tempos de pandemia, população grita por socorro em redes sociais, e chamam a atenção das autoridades, para o problema que todos os anos se repetem no Pantanal, com as queimadas criminosas que destroem a fauna, a flora e a saúde da população.

Os bombeiros que tem apenas duas equipes que se revezam com bombas manuais de apagar incêndio, acabam tendo que priorizar os locais que tem dado maior prejuízo à população para combater as chamas.

A fumaça cobre toda a cidade e dificulta a respiração que também enfrenta a guerra contra o Covid-19.

Ao Conteúdo MS o deputado Estadual Evander Vendramine, eleito e natural de Corumbá, relata que está em busca de apoio, ”Entrei em contato com o governo do Estado pedindo apoio e mais providências para combater os incêndios”, disse Vendramine.

Ao questionarmos sobre as providências tomadas, Evander diz que tem cobrado o Governo do Estado e até o Governo Federal.

”Precisamos atacar a causa, estou cobrando do Governo do MS que equipe a policia ambiental com estrutura e pessoal necessário para fiscalizar toda a extensão do nosso território, pois com o pequeno efetivo que temos e alguns poucos barcos ou lanchas, torna-se praticamente impossível chegar aos criminosos, que por algum motivo ateiam fogo nas pastagens nativa. Fogo raramente pega sozinho.

Precisamos de helicópteros e aviões permanentes aqui em Corumbá para atuar tanto na fiscalização, como também nas ações rápidas de combate aos incêndios quando estes surgirem.

Estou cobrando também do Governo Federal, ações mais efetivas do IBAMA na preservação e fiscalização, pois são insuficientes as brigadas de incêndio que aqui disponibilizam para essas ações;

Atualmente os brigadistas tentam conter as chamas com bombas manuais costais e abafadores de borrachas, normalmente ultilizados para conter pequenos incêndios em pequenos terrenos urbanos e não em grandes extensões do Pantanal, chega a ser vergonhosa essas ações, Conclui o Deputado

De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), Corumbá é a cidade com mais focos de incêndio no Brasil, com 2.423 até a última quarta-feira (22). Apenas nas últimas 48 horas, foram 192 focos iniciados no município, que tem o tamanho territorial uma vez e meia maior do que todo o estado do Rio de Janeiro.

Nenuma resposta foi enviada a Corumbá até a publicação desta reportagem, segundo nos informou o Deputado. Enquanto a situação se agrava, uma força tarefa montada com o Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso do Sul e Prevfogo do Ibama, realiza ações de combate na região.

Com o reforço de bombeiros militares e embarcações vindas de Aquidauana e Jardim, vinte e duas pessoas atuam na frente de trabalho na região do incêndio, com quatro embarcações. Os trabalhos continuam nesta sexta-feira (24).

 

 

 

Fonte ; Conteúdo M

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *