Paraguai entrega 74% de via asfaltada que integrará Rota Bioceânica

Governo paraguaio entregou mais um trecho asfaltado da via que compõe a Rota Bioceânica, corredor de integração rodoviária entre os oceanos Atlântico e Pacífico. Até agora, segundo divulgado pelas autoridades daquele país, foram asfaltados 159 km de total de 277 km a partir de Loma Plata, no departamento de Boquerón, cerca de 74% do total.

A Rota Bioceância é projeto que pretende estrutura o escoamento da produção, fazendo rota que cruzará Chile, Argentina, Paraguai e Brasil. Entre as obras, o asfaltamento, em território paraguaio, de trecho de Loma Alta (departamento de Boquerón) a Carmelo Peralta (Alto Paraguai). Esta é a primeira parte do corredor, que unirá os portos do Chile com os do Brasil.

O trecho 7 do corredor bioceânico foi inaugurado ontem pelo presidente Mário Abdo Benitez, que também habilitou sistema de comunicação com as comunidades indígenas de Loma Plata e Filadélfia, a última, capital do departamento de Boquerón, extremo oeste do País.

Em discurso, o ministro de Obras Públicas e Comunicação do governo paraguaio, Arnoldo Wiens, disse que esta é obra de maior envergadura do país e que significará desenvolvimento. Também falou que o cronograma está adiantando, com 74% da obra de asfaltamento entregue e que espera que o serviço do asfaltamento de aproximadamente 116 km seja concretizado até junho.

Presidente do Paraguaio, Mario Abado (esq) e ministro de Obras, Arnoldo Wiens (Foto: Toninho Ruiz)

Presidente do Paraguaio, Mario Abado (esq) e ministro de Obras, Arnoldo Wiens (Foto: Toninho Ruiz)

Até agora segundo ele, o asfaltamento do trecho já reduziu o trajeto de Loma Plata a Carmelo Peralta (Alto Paraguai) de 5h para cerca de 2h30. A obra incluírá, ainda, a construção de quatro pontes de concreto.

Uma delas, a ponte sobre o rio Paraguai, com 680 metros de cumprimento e investimento de US$ 82 milhões teve a licitação suspensa pelo governo paraguaio. A obra passa por Porto Murtinho e o governo de MS pediu novo cronograma para desembaraço do certame.

A obra sempre foi descrita como fundamental pelos dois países para alavancar a rota bioceânica, que visa encurtar o caminho para o Oceano Pacífico a partir dos países sul-americanos e assim dar mais competitividade nas exportações e melhores condições nas importações aos países envolvidos, inclusive de Mato Grosso do Sul.

 

Em paralelo o governo do Estado segue com várias obras de infraestrutura, como o acesso a BR-267. Também investiu recursos em Porto Murtinho, como R$ 25,2 milhões no contorno rodoviário e mais R$ 2,5 milhões no trevo da BR-267, que disciplinará a movimentação de caminhões no posto de triagem para 400 veículos.

 

Fonte: conteudo ms

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *