Irmãos Silva garantem pódio na disputa do Brasileiro Cadete e Júnior de Wrestling

Silva é o sobrenome mais comum no Brasil, compartilhado por milhões de pessoas no país e isso quase todo mundo sabe. Habitual também é encontrar três integrantes desta extensa família no pódio de competições nacionais de wrestling, modalidade também conhecida como luta olímpica. São os “irmãos Silva”, os sul-mato-grossenses Assíria Daniela, Paulo André e Pedro Samuel, que treinam juntos sob o comando técnico de Agnaldo Pereira dos Santos.

Contemplados pelo Bolsa Atleta, programa do Governo do Estado, administrado pela Fundação de Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul (Fundesporte), os atletas foram medalhistas no Campeonato Brasileiro Cadete e Júnior de Wrestling 2021. A competição ocorreu neste sábado (9), na Arena de Lutas Aline Silva, no ginásio do Sesi de Cubatão (SP).

O caçula Paulo André Gonçalves da Silva conquistou a medalha de ouro na classe cadete masculino (15 a 17 anos), pela categoria até 65 quilogramas (kg), no estilo livre. O lutador de 17 anos atingiu o limite de idade e se despede das disputas nesta faixa etária com sucesso.

O irmão do meio, Pedro Samuel Gonçalves da Silva, ficou com o segundo lugar na classe júnior masculino (18 a 20 anos) até 74 kg, no estilo livre. O campo-grandense de 19 anos só ficou atrás do carioca Pedro Henrique Campos. O terceiro lugar foi alcançado por Guilherme Porto, de Mato Grosso.

Com 20 anos, Assíria Daniela Maurício da Silva é a mais velha dos três. Ela terminou o Brasileiro com o bronze, medindo forças na classe júnior feminino (18 a 20 anos) até 53 kg, também no estilo livre. Para a sul-mato-grossense, estar no pódio já é gratificante. “Claro que todos almejam o lugar mais alto, mas só de ter conseguido participar e estar entre as três melhores do meu país já é um bom começo”.

Ela destaca que ter os irmãos por perto diariamente nos treinos e em viagens para competições dá ainda mais motivação. Todos se ajudam e se aconselham. “É bem diferente e eu considero muito bom, cada um conhece as limitações do outro, física e psicologicamente. Nós sempre fomos bem próximos e acho que isso ajuda bastante, um motiva o outro, um aquece com o outro”.

“Embora treinemos juntos, cada um tem seu próprio jogo e estilo de luta e eles sempre me lembram meus pontos fortes e fracos, como montar uma estratégia, que perna atacar. Tudo isso é realmente relevante”, continua Assíria. Os perrengues e as angústias também são divididas entre “os Silva”. “São pessoas que convivem comigo, eles sabem o que é ficar várias horas em um ônibus para ir a uma competição, bater peso e conhecem principalmente o nervosismo que todos sentem antes de qualquer luta”, finaliza a atleta.

Além de vários quilômetros rodados pelo país, os três também já representaram juntos o Brasil em competições internacionais da modalidade. De 9 a 13 de junho, Assíria, Paulo e Pedro disputaram o Campeonato Pan-Americano Cadete e Júnior 2021, em Oaextepec, no México. Na ocasião, Paulo André assegurou a prata à seleção brasileira. Assíria Daniela terminou na quinta colocação e Pedro Samuel em sétimo lugar.

Com acs

EsporteMs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *