GT de Caravanismo e Ponto de Apoio ao Viajante realiza primeira reunião

Reunião contou com representante do Ministério das Relações Exteriores (MRE). Crédito: Victor Maciel/MTur

Após sua formalização, o Grupo Técnico (GT) de Caravanismo e Ponto de Apoio ao Viajante (PAV) se reuniu, pela primeira vez, nesta sexta-feira (18.06) para discutir os temas tendo como referência a estruturação do Corredor Bioceânico no país. A rota rodoviária ligará Campo Grande (MS) a portos no norte do Chile, passando por Paraguai e Argentina, e incrementando o turismo na região. No Brasil, a expectativa é de que o percurso encurtará em cerca de 2 mil km a vinda de turistas destes países, a partir de um corredor bem estruturado com 100% do percurso no país com Wi-Fi gratuito.

O ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, espera que a nova rota possa aumentar o fluxo de turistas e considera fundamental a presença de pontos de apoio bem estruturados. “Será um percurso que ligará quatro países. Temos que estar preparados para receber bem estes viajantes que terão à disposição este meio de entrada no Brasil. Vamos entrar em contato com os gestores locais que serão envolvidos pelo corredor e articular esta preparação para que os nossos destinos estejam aptos quando estiver concluído”, disse.

De acordo com o GT, será necessária uma reunião com prefeitos e secretários de turismo das cidades envolvidas. O objetivo é preparar estes municípios e articular ações que priorizem a estruturação de pontos de apoio e que incentivem o caravanismo na região. “Os destinos envolvidos precisam começar a criar os seus produtos e colocá-los na prateleira. O Corredor Bioceânico virou um case dentro do aspecto de caravanismo e PAV, que, se a gente conseguir mapear ou organizar dentro do corredor, já serve de modelo para resolver boa parte das demais rotas nacionais”, declarou o secretário nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo, William França.

Para o Coordenador do GT, Higor Guerra, o Governo Federal tem buscado aprimorar políticas públicas de infraestrutura rodoviária o que irá beneficiar o turismo em todo país. “Estamos atentos às inovações tecnológicas, aos programas governamentais na área da infraestrutura e às oportunidades de investimentos em turismo. o GT servirá de instrumento para o Ministério avançar com a pauta do Turismo rodoviário no Brasil”.

O ministro da carreira diplomática do Ministério das Relações Exteriores (MRE) e coordenador do projeto do Corredor Bioceânico no Brasil, João Carlos Parkinson, destacou a importância da iniciativa do Ministério do Turismo em instalar pontos nesta rota. “A pauta se desenvolveu no sentido de valorizar algumas temáticas específicas, como o desenvolvimento dos motorhomes como meio de fusão do turismo, mas também que envolvesse o corredor bioceânico, abrindo uma vertente sul-americana para a promoção de turismo e captação de novos fluxos de turistas desses países para o Centro-Oeste e Nordeste brasileiro e identificar por meio dos PAV’s possibilidade de investimentos no Brasil e na América do Sul”, concluiu.

De acordo com a Associação de Estradeiros do Paraná, existem hoje no Brasil em torno de 40 mil veículos para caravanismo cadastrados. As regiões mais preparadas no que se refere à infraestrutura de apoio para receber motorhomes são, nesta ordem: São Paulo, Santa Catarina, Minas Gerais e Bahia. Apesar disso, os brasileiros lideraram o ranking internacional de viajantes de motorhome nos Estados Unidos, em 2019. O país norte-americano faturou, considerando todo este segmento, US$ 114 bilhões e gerou 600 mil empregos diretos somente em 2019.

Por Victor Maciel

Assessoria de Comunicação do Ministério do Turismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *