Eduardo Rocha deve assumir a Segov no começo de dezembro

Está tudo certo para os dois novos integrantes do Governo do Estado assumirem suas funções até a primeira quinzena de dezembro. A data ainda não foi oficializada pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB), mas a confirmação dos novos integrantes é do chefe da Casa Civil, Sérgio de Paula.

“Estamos conversando com pessoas, não com partidos. Os dois vão contribuir muito com a administração até dezembro de 2022”, disse de Paula. As decisões sobre as funções que cada um estão na mão do chefe do Executivo.

No entanto, o deputado estadual Eduardo Rocha (MDB) já confirmou que será o secretário de Estado de Governo. Ele também não sabe quando será publicada sua nomeação.

Há cinco meses, a pasta funciona com o interino, secretário-adjunto, Flávio César. Conforme o regimento interno da Assembleia Legislativa, o parlamentar só pode se licenciar da função para assumir o papel de secretário de Estado.

Rocha estava sendo analisado para três secretarias e como ele já confirmou deve assumir papel no primeiro escalão do governador. A função dele será de articulador político e relacionamento com os demais homens públicos do Estado, em todos os poderes.

Apesar de não ter data, o deputado deve ficar na Casa de Leis até a conclusão da votação dos 15 projetos enviados na última terça-feira (16) para o Legislativo, que vão garantir o reajuste dos servidores estaduais.

Eduardo Rocha é membro da principal comissão da Assembleia Legislativa, a CCJR (Comissão de Constituição, Justiça e Redação) e vice-presidente da Mesa Diretora.

Sempre apoiando o Executivo, o parlamentar vai ter como última missão a aprovação dos projetos. Como na próxima semana já está definida a votação do primeiro projeto e os demais vão começar a passar pelo rito no plenário, a votação deve ser concluída em até duas semanas. No lugar dele, quem assume é o suplente Paulo Duarte (MDB).

E, embora o chefe da Casa Civil, Sérgio de Paula, não queira falar em eleições 2022 até o final deste ano, a conversa com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, tem evoluído para que ela seja a senadora da chapa do PSDB.

Deputada federal licenciada pelo DEM, ela deu sinal positivo ao seu braço direito no partido aqui no Estado, Marco Santullo, assumir papel da gestão tucana. O nome deve ser homologado, também antes do recesso de dezembro.

 

 

fonte: Conteúdo ms

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *