Diego Costa é condenado a seis meses de prisão por crime fiscal, mas só pagará multa

Diego Costa foi sentenciado a seis meses de prisão e a pagar uma multa de 543,2 mil euros por ter fraudado mais de 1 milhão de euros (R$ 56 milhões) à Fazenda espanhola em sua declaração de imposto de renda em 2014.

O atacante brasileiro, naturalizado espanhol, se declarou culpado nesta quinta-feira, em audiência em Madri, e fez acordo para substituir a pena de seis meses de prisão por uma multa de 36 mil euros (100 euros diários durante 12 meses, R$ 204 mil no total). As acusações são de 2014, quando o brasileiro deixou o Atlético de Madrid, seu atual clube, rumo ao Chelsea. Naquele ano, segundo as autoridades, o jogador cometeu fraude através de empresas internacionais e na gestão de seus direitos de imagem.

Em 2019, o jogador do Atlético já pagou 1,14 milhão de euros (R$ 6,4 milhões) para quitar a dívida tributária e reconheceu os fatos que caracterizam crime para a Agência Tributária da Espanha.

O caso de Diego Costa é o mais recente envolvendo jogadores e fraude fiscal. Em 2019, Cristiano Ronaldo acordou um pagamento de 18,8 milhões de euros. Lionel Messi, por sua vez, foi multado em 2 milhões de euros e 21 meses de prisão que foram substituídos por multa de 500 mil euros em 2017. Modric, Marcelo, Falcao, Di Maria e Mascherano são outros exemplos.

A exceção entre eles, um atleta que ganhou a disputa fiscal com a Fazenda, foi Xabi Alonso, ex-Real Madrid e Liverpool, que foi acusado de fraude, mas conseguiu provar a inocência.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *