Depoimento revela orgia com criança promovida por testemunha-chave da Omertà

Na mira da Polícia Civil por produzir e armazenar conteúdo pornográfico envolvendo crianças e adolescentes, Eliane Benítez Batalha dos Santos, que ficou conhecida como testemunha-chave da Operação Omertà, também é investigada por estupro de vulnerável. A DEPCA (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente) apura se ela promovia orgias com criança.

A vítima dos abusos é menino de 7 anos, que têm grau de parentesco com ela. Os detalhes surgiram no depoimento do garoto, prestado no setor psicossocial da DEPCA, na manhã dessa segunda-feira (8).

Conforme registrado no auto de prisão em flagrante, ao qual o Campo Grande News teve acesso, ele relatou que já foi fotografado e filmado nu e de roupas íntimas. Disse ainda que a suspeita tem costume de pegar em seu pênis, além de ter de fazer massagem em uma amiga da mulher, que em troca, pega em seu órgão genital.

Outra criança entrevistada, uma menina de 9 anos, também da família de Eliane, contou à polícia que a investigada tem costume de tirar fotos dela tomando banho ou na piscina. Quando recebe amigos em casa, Eliane os fotografa também, os chamando individualmente em quarto para as “sessões de fotos”.

As revelações que resultaram na prisão em flagrante de Eliane Benítez, na manhã de ontem, começaram a vir à tona ainda no período de desdobramentos do inquérito para apurar a quem pertencia arsenal encontrado com Marcelo Rios, ex-guarda municipal e pivô da Omertà.

À época, o Garras (Delegacia Especializada em Repressão a Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros) compartilhou informações com a DEPCA. Conforme apurado pela reportagem, imagens pornográficas de crianças foram encontraram nos celulares apreendidos e então, o casal, Eliane e Rios, passou a ser investigado também pela especializada em crimes contra menores de 18 anos.

Eliane Benitez Batalha durante o depoimento à Omertà, em agosto de 2019, cujo conteúdo ela desmentiu em audiência na justiça estadual sobre a morte de Matheus Coutinho Xavier, em 2020 (Foto: Reprodução vídeo)

Operação Acalento – Na manhã dessa segunda, mandado de busca foi cumprido em residência no Bairro Portal Caiobá, região sul de Campo Grande. Quatro pen-drives contendo pelo menos 20 imagens de crianças nuas foram encontradas. Um cartão de memória de 8 GB também foi apreendido.

Presa em flagrante, Eliane confirmou, em interrogatório, que tira fotos de crianças, mas alegou que “é normal” meninos e meninas fiquem nus em sua casa. Disse ainda que as vezes “brinca” com o garoto de 7 anos pegando em suas partes íntimas, mas apenas para saber “se está bem lavado”. Garantiu que nunca compartilhou as fotos de crianças sem roupa.

Por último, admitiu que as visitas da amiga que “faz brincadeiras” com o menino, mas afirma que nunca viu intenções libidinosas nos atos dela.

Eliane passou por audiência de custódia nesta manhã e teve a prisão em flagrante convertida em preventiva (por tempo indeterminado).

Além dela, Marcelo Rios também deve responder pelos crimes relacionados ao conteúdo de pornografia infantil, porque há indícios de que ele sabia e participava da produção do material.(CAMPO GRANDE NEWS)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *