Ação da Hidrovias do Brasil pode decolar 65% com largada da Ferrogrão

O Ferrogrão visa impulsionar o escoamento de grãos pelo Arco Norte, contemplando uma linha de 993 quilômetros entre Sinop (MT) e Miritituba (PA) (Imagem: Beth Santos/Secretaria-Geral da PR)

O anúncio feito pela Hidrovias do Brasil (HBSA3) sobre avaliação técnica do Projeto Ferrogrão com a VLI, empresa controladora da Ferrovia Centro-Atlântica, já animou o time de análise do BTG Pactual (BPAC11).

Apesar de complexo, uma vez concluído, o Ferrogrão impulsionará o escoamento de grãos do Brasil, ligando por ferrovia de quase 1 mil quilômetros a região agrícola do Centro-Oeste com os portos do Norte, mais próximos do Hemisfério Norte.

De acordo com o relatório do banco de investimentos, ao qual o Money Times teve acesso, o Projeto Ferrogrão deverá custar um investimento em bens de capitais (Capex, na sigla em inglês) de R$ 21,5 bilhões, sendo R$ 8,4 bilhões para implementação da malha férrea e R$ 13,1 bilhões em investimentos recorrentes.

“Mesmo com o projeto em fase embrionária, a Hidrovias do Brasil pode reagir positivamente ao anúncio conforme o valuation atual não sofre consideráveis mudanças na competitividade do Arco Norte, enquanto ganha com a potencial eficiência do Ferrogrão”, comentam os analistas Lucas Marquiori, Fernanda Recchia e Aline Gil.

Creditos Moneytimes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *