Academia de Letras e Artes de Mato Grosso do Sul “AMOR, VINCIT OMNIA”

Proseando na vez em nossa coluna mostraremos uma Academia que vem fazendo a diferença e abrilhantando muito nossa sociedade com ações sociais e culturais e mostrando que as mulheres com sua força e atitude fazem pulsar em um ritmo intenso nossa cena cultural. A AFLAMS – Academia de Letras e Artes de Mato Grosso do Sul “AMOR, VINCIT OMNIA” A Academia Feminina de Letras e Artes de Mato Grosso do Sul – AFLAMS, foi criada em 19 de janeiro de 2008. Sua criação foi ratificada em 04 de janeiro de (2009) dois mil e nove, e registrada em 05 de abril de 2013, no Cartório de Títulos e Documentos.

A Academia de Letras e Artes de Mato Grosso do Sul – AFLAMS – tem por Missão “ reconhecer, divulgar e incentivar a atuação da mulher em todos os campos culturais, visando sobretudo ao aprimoramento e a preservação da língua Pátria e riquezas culturais da região, estimulando novos talentos; prestar atendimento sócio – cultural inserindo o indivíduo na prática da cidadania. Tem o compromisso de buscar junto as entidades literárias e filantrópicas, organismos nacionais e internacionais, ONGS que trabalham pela cultura da paz, união entre os povos, plantando uma semente que será deixada como herança as novas gerações de nosso estado.

ACADÊMICAS A Academia Feminina de Letras e Artes de Mato Grosso do Sul é composta por suas patronas Delasnieve Daspet, Maria Helena Sarti, Aida Machado Domingos, Maria Teresa Casadei, Blanche Maria Torres, Rosangela Villa da Silva, Rosemari Gindri, Edineide de Oliveira, Marlei Sigrist, Marilena Grolli, Ana Lúcia Moreira, Silvia Regina Farina, Lúcia Monte Bueno, Aurineide Oliveira, Therezinha Selem, Viviane Vazes, Yrama Barros, Maria José Cordeiro, Martha Brum, Valmira Garcia, Mirian Suzuki, Neyla Mendes, Kênia Braga, Luciana Rondon Carvalho, Daniela de Cássia Duarte, Ledir Marques Pedrosa, Sonia Cristina de Albuquerque, Angela Cristina dos Reis, Sonia Maria Ruas Rolon, Marta Martins de Albuquerque, Cilene Queiróz, Helita Fontão, Severina da Silva, Lais Doria, Lucimara Calvis, Ana Aparecida Arguelho, Érika Rando de Oliveira, Maria Caroline Bertol, Eudirce Isabel dos Reis e Ilva Maria Xavier Canale.

A presidente fundadora da AFLAMS, a advogada e poetisa Deslanieve Miranda Daspet de Souza, relata. “Fui criada no Pantanal, e meu pai, mesmo sem estudo, me ensinou que o aprendizado era liberdade. Resolvi advogar e ser ativista da causa humanitária e da cultura da paz aqui no Brasil e em vários países. A poesia não tem nacionalidade, nem cor, nem gênero, nem religião, chegando então a cada diferente lugar dizendo o que eu pretendia ou o que interpretavam. Sonhei e ajudei a realizar vários outros momentos, este aqui hoje começou em 2008 com apenas três de nós, sendo a união de mulheres que ajudam a escrever a história deste Estado. Essa semente é muito importante, pois as gerações futuras precisam saber quem são os escritores e educadores”, ressaltou a poetisa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *