Rede estadual define amanhã se volta dia 1º com aulas híbridas

As aulas nas escolas estaduais deverão ser híbridas em 2021, com revezamento de turmas por semana conforme a estrutura da escola. Em apresentação online nesta tarde, a SED (Secretaria de Estado de Educação) informou a modalidade de ensino prevista para este ano, caso ela seja de fato definida, amanhã, após reunião com o COE (Centro de Operações de Emergências da Saúde) da SES (Secretaria de Estado de Saúde).

O anúncio foi feito pela secretária de educação estadual, Maria Cecília Amêndola da Motta e as aulas voltam para os alunos em 1º de março. Os professores já retomaram o trabalho de planejamento desde 4 de fevereiro.

Conforme foi explicado, os diretores e coordenadores dos colégios ficarão responsáveis por construir a escala de turmas, de acordo com a estrutura escolar e quantidade de alunos.

Também foi ressaltado que nessa organização, seja levado em conta os alunos que têm irmãos na mesma escola, para que no escalonamento, seja possível que eles vão ao colégio na mesma semana determinada, ainda que sejam de turmas diferentes.

Como as aulas híbridas indicam o revezamento entre o ensino presencial e o à distância, pais que não desejem que os filhos participem presencialmente, podem solicitar isso à escola e o aluno poderá acompanhar as aulas via online ou através das atividades impressas.

“A secretaria vem trabalhando em preparar nossa rede de maneira que o pai possa optar em levar ou não o filho e isso vai ser uma opção da família. O pai não é obrigado a levar o aluno se optar, mas ele tem que deixar claro se o aluno vai acompanhar as aulas de forma presencial ou não”, disse Maria Cecília.

Isso porque, caso haja mudança posterior dessa decisão, o pai ou responsável só poderá fazê-lo se avisar a escola com 15 dias de antecedência. Foi informado ainda, durante a transmissão, que caso haja alguma orientação da SES (Secretaria de Estado de Saúde) para que o sistema presencial seja cancelado, ele será e as aulas serão mantidas de forma online.

Quanto ao pedido de entidades que representam os professores que estes só voltem à sala de aula após estarem vacinados, a informação é de que não há demora na imunização e também, defasagem pedagógica.

 

Os alunos receberão, na primeira semana de aula, itens de biossegurança, como máscaras e álcool em gel, bem como orientações de como proceder no ambiente escolar.

fonte conteúdo ms

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *