As Eleições e suas Peculiaridades

Já a bastante tempo eu não escrevia, por conta exatamente da campanha eleitoral
deixei meu bom e velho notebook em minha escrivaninha e fiz o que era mais hábil a
fazer, politicar! Mas como já me referi anteriormente, nessa campanha me marcou de três formas bastante específicas. Primeiro que foi minha quase primeira tentativa, e por
questões familiares me vi obrigado a deixar a corrida já na largada e Deus sabe o quanto
me preparei para essa maratona, mas dias melhores virão. Segundo, posso dizer que nessa campanha por conta do “distanciamento” social várias medidas de afastamento foram tomadas, ou não, pois para mim não fazia sentido algum usarem máscaras e se abraçarem, mas era cômico ver as tentativas de medidas de biossegurança adotadas. E terceiro foi observar a fragilidade de alguns candidatos e o ilusionismo de outros, pois muito daqueles que se auto intitularam líderes comunitários ou não tinha uma liderança minimamente expressiva, ou eram apenas falastrões que não tinha de forma alguma as lideranças comunitárias que alegavam ter.

Meu amigo Person Gouveia em meados de maio desse ano, escreveu um artigo
para o jornal Raio X com o título “Líderes de Redes Sociais”. Neste, ele faz uma menção
ao dia do Líder Comunitário comemorado nacionalmente no dia 05 de Maio e em seguida ele abre uma crítica aqueles que se auto intilam líder comunitário. Concordo com ele quando diz que hoje em dia para ser um líder comunitário basta apenas se intitular, não precisa nem provar, ou ter uma comunidade que o endossem.

Ser um líder comunitário é uma responsabilidade quase que sublime, pois existe uma comunidade ou grupo que confia e espera por suas ações e como bem foi dito no artigo citado, o líder comunitário é a ponte entre os poderes executivo, legislativo,
judiciário e a comunidade, pois nosso gestores, legisladores e magistrados não sabem o que exatamente se passa nas extremas periferias. Então quando alguém se diz Líder Comunitário apesar da honraria do título, espera-se desse cidadão uma devoção e entrega à sua comunidade, por contra partida entende-se que a comunidade deposite (ou não) seu voto de confiança a ele. E quando esse dito “líder” não recebe um mínimo de votação esperado, ele precisa fazer uma reflexão sobre qual é sua relevância e principalmente sua contribuição para aquela comunidade, pois caso ele não seja aquele líder que ele esbravejou ser, que seja! pois a comunidade precisa muito desse representante local.

Essas eleições foram marcada por muitas inconsistências e a mais significantes
delas foram aqueles que se diziam líderes comunitários mesmo sem terem apresentados
um único trabalho social (exclui-se entrega de cestas básicas em período de pré
campanha), e ao clarear das luzes expondo suas vulnerabilidades abrem questionamento
de nosso sistema eleitoral alegando que não foi contabilizado os votos que receberam.
Nesse momento não tenho nenhuma opinião sobre a confiabilidade de nosso sistema
eleitoral mas o que posso dizer a respeito é que se nosso Supremo Tribunal Eleitoral na
figura de seu presidente Luis Roberto Barroso está cometendo algum tipo de
irregularidade ou peculato, não o faz na intenção de prejudicar ou beneficiar um de nossos vereadores, seria uma arrogância e pretensiosismo narcisista. Por hora é evidente que nossos líderes comunitários não são tão lideres assim, ou para não dizer que não pensei em todas as opções, seria dizer que nossa sociedade é corrupta e que votaram de forma egoísta e miserável recebimento de algum tipo de benefício momentâneo, o que não creio que seja. Um ou outro cidadão corrupto tudo bem, mas uma comunidade inteira, não acho crível. Se isso fosse verdade, nossa cidade merecia o pior dos gestores, aquele que renegasse a todas as suas promessas de campanha para que a população entenda que todo tipo de benesse oferecida pelo corruptor será cobrado
de forma a multiplicar por milhares dos corruptos (cidadão que entregaram à corrupção) e os não corruptos (cidadãos que votaram de acordo com seus ideais).

Por fim quero parabenizar a nossos futuros vereadores por terem alçado a eleição,
observo que essa nova câmara ficou bem hegemômica bem como deve ser para a
manutenção da democracia e inviabilizando ilícitos. Uma câmara com situação e oposição
composta de forma igualitária é a melhor forma de garantir a maior lisura na gestão
municipal e esses novos nomes que alçaram o cargo de vereador em 2021, acredito que
entram com esse compromisso de sempre votarem e legislarem e favor de nossa querida cidade morena.

*IRWING FERREIRA*

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *