Aos 59 anos, senhor Raimundo contempla os benefícios da pratica de exercícios físicos

Campo Grande (MS) – Um dos problemas mais complicados da vida quando vai se chegando a idade avançada é a incapacidade física. Por isso homens e mulheres que não querem ficar incapacitados ao chegar nessa fase incluem uma ótima tática, que é fazer exercícios físicos.

Aos 59 anos, Raimundo Martins vê a importância da prática do exercício físico em seu dia a dia. “Faço tratamento de saúde, já tive um acidente de carro onde fraturei o fêmur, e ao ficar algum tempo debilitado eu vi ainda mais a importância que é agente ter saúde, andar, praticar exercícios físicos. Agora sempre tiro um tempinho para me exercitar, eu sinto frequentemente no meu dia a dia os benefícios que caminhar, se exercitar em si traz para minha saúde geral, é um beneficio físico e mental, garante Sr Raimundo”.

O exercício auxilia em muitas áreas da saúde, convém desde um entretenimento, como para prevenções, depressão, demências, sedentarismo. A prática de exercícios regularmente é muito importante, sendo ele qual for, desde uma caminhada, correr, nadar ou jogar bola, entre outros, tudo vale, o importante é não ficar parado.

CORPO SAUDÁVEL/ MENTE SAUDÁVEL

O Governo Federal Estadunidense publicou pela primeira vez as Diretrizes de Atividade Física para Americanos em 2008. Usando orientações científicas, essas diretrizes fornecem uma visão geral de quanto exercício físico os americanos (e brasileiros) devem realizar a cada semana.

Ou seja, pelo menos dois dias de atividade de fortalecimento muscular combinada com pelo menos 150 minutos de exercício de intensidade moderada ou 75 minutos de exercício de intensidade vigorosa.

Essas diretrizes abordam indivíduos saudáveis e aqueles com risco aumentado de doença crônica, enfatizando como o exercício pode prevenir os efeitos de certas doenças crônicas, como Diabetes Mellitus, Hipertensão Arterial e inclusive, as chamadas demências, como a Doença de Alzheimer.

Uma edição atualizada das Diretrizes de Atividade Física foi lançada no final de 2018. A principal atualização foi uma seção dedicada à relação entre atividade física e saúde do cérebro.

Infográfico baseado nas Diretrizes de Atividade Física do site do governo estadunidense Health.gov

 

Esta seção explica os benefícios da atividade física para cognição, sono, depressão, ansiedade e qualidade de vida geral.O reconhecimento do governo sobre a saúde do cérebro finalmente divulga seu papel integral na saúde geral e destaca como o exercício físico beneficia não apenas seu corpo, mas também sua mente.

Como o exercício melhora a saúde do cérebro

Há muitas maneiras pelas quais o exercício físico melhora a saúde cognitiva. O exercício aeróbico (também conhecido como cardio) aumenta a frequência cardíaca e aumenta o fluxo sanguíneo para o cérebro. Sua frequência cardíaca aumentada é acompanhada por respiração mais forte e rápida, dependendo da intensidade do seu treino.

À medida que sua respiração aumentada bombeia mais oxigênio para a corrente sanguínea, mais oxigênio é liberado para o cérebro.Isso leva à neurogênese – ou à produção de neurônios – em certas partes do cérebro que controlam a memória e o pensamento.

A neurogênese aumenta o volume cerebral, e acredita-se que essa reserva cognitiva ajude a amortecer os efeitos da demência. Outro fator que media a ligação entre a cognição e o exercício são as neurotrofinas, proteínas que auxiliam a sobrevivência e a função dos neurônios. Observou-se que o exercício promove a produção de neurotrofinas, levando a uma maior plasticidade cerebral e, portanto, melhor memória e aprendizado.

Além delas, o exercício também resulta em um aumento de neurotransmissores no cérebro, especificamente serotonina e norepinefrina, que aumentam o processamento da informação e o humor.

 

Jéssica Honório

Fonte: O post CORPO SAUDAVEL,MENTE SAUDAVEL –  foi escrito originalmente por Mylea Charvat, Ph.D., psicóloga clínica, neurocientista translacional e CEO e fundadora da empresa de avaliação cognitiva digital Savonix, na Califórnia, nos Estados Unidos.O texto foi e postado no site Psychology Today, em janeiro de 2019.O conteúdo foi traduzido e adaptado pelo Blog 50+ SAÚDE com objetivo de clareza.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *