Obras na Bandeirantes começam com preocupação sobre estacionamento

Detalhes foram apresentados aos empresários nesta sexta-feira; temores vão de repetição a cenário da Brilhante e 14 de Julho à perda de vagas de estacionamento.

O que começou com um debate marcado por preocupações quanto a repetição de problemas registrados em obras semelhantes, como as realizadas nas Ruas Brilhante e 14 de Julho, terminou com preocupações quanto à perda de metade das vagas de estacionamento da Avenida Bandeirantes e a confirmação de que, na próxima semana, os trabalhos de revitalização da via –e de implantação de uma nova etapa do corredor sudoeste do transporte coletivo– terão início a partir da Avenida Afonso Pena, rumando para o trevo do Imbirussu.

O anúncio foi feito na noite desta sexta-feira (12) por representantes da Prefeitura de Campo Grande, governo do Estado e Engepar Engenharia, responsável pelo empreendimento de R$ 8,1 milhões, durante reunião convocada por comerciantes da Bandeirantes, apreensivos quanto aos prejuízos com o avanço das obras, como já ocorreu na Brilhante e, mais recentemente, na 14.

“Na Brilhante fecharam muitos estabelecimentos foram fechando e foram deixando acontecer”, afirmou o empresário Gilson Bragini. “A reunião foi chamada para ver o que eles propõem para amenizar o nosso sofrimento”, prosseguiu, lembrando que a grande maioria dos comércios na via é de revendas de automóveis –o que geral preocupação com a perda de metade das vagas de estacionamento hoje existentes, devido a implantação do corredor de ônibus do lado esquerdo.

O temor quanto o avanço das obras mereceu atenção dos técnicos da prefeitura e da Engepar, ao informarem que a expectativa é de que não sejam necessárias interdições totais da Bandeirantes. “Queremos deixar pelo menos uma pista sempre livre, quando possível duas ou até três”, disse Ariel Serra, secretário-adjunto de Infraestrutura e Serviços Públicos de Campo Grande, responsável pela apresentação dos detalhes técnicos do projeto.

“Boa parte da rede de drenagem será feita sem interrupção total do fluxo. Não são ações tão profundas quando na 14 de Julho”, reiterou Thiago Gonçales, gerente da Engepar, durante a audiência.

Ilhas – As obras a serem iniciadas pela Engepar ao longo dos 3,89 km da Bandeirantes incluem a revitalização do pavimento, com construção de pista para circulação de ônibus –na qual será permitido que empresários do lado esquerdo acessem seus estabelecimentos– e sete “ilhas” próximas a esquinas, separadas por distâncias entre 300 e 700 metros, por onde será feito o embarque e desembarque de usuários do transporte coletivo.

Fonte    :      https://www.campograndenews.com.br/

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *